Contratransferência e a auto-estima do analista

Contratransferência e a auto-estima do analista

contratransferencia-e-a-auto-estima-do-analista-1Autor(a): BRANDÃO, Célia

1994 – São Paulo

Este trabalho destaca a importância dos processos psíquicos do analista como ancoragem da técnica analítica.
A contratransferência é produto do potencial do self do analista e de seus processos psíquicos na sua relação com o cliente.
O tema da auto-estima do analista e a sua relação com seu self grandioso, assim como com sua ferida narcísica, nos possibilitam um campo de reflexão e uma teoria da técnica analítica.

O desenvolvimento do conceito de contratransferência é tratado desde sua formulação por Freud, até sua valorização como técnica de trabalho por Ferenczi e por Paula Heimann, chegando a autores piscanalíticos atuais.

Embora Jung tenha se referido poucas vezes ao termo, as citações feitas por Jung são aqui alvo de reflexão.

Este trabalho destaca algumas questões técnicas levantadas por autores junguianos atuais, a partir da análise do fenômeno da contratransferência. A contribuição quanto aos termos do narcisismo e do self grandioso na psicanálise contemporânea, é aqui também objeto de reflexão.

Destacamos a auto-estima do analista e, em particular os seus aspectos grandiosos, como uma das ancoragens da técnica.