Curso de Férias

Neste primeiro evento de 2020, a Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica tem o prazer de anunciar o curso de férias com o tema “A Primeira Infância e a Família Contemporânea na perspectiva da Clínica Junguiana”, no qual iremos enriquecer o debate com diversos temas que rondam o assunto principal.

Nesses três dias de curso, contaremos com a presença de analistas da SBPA e outros experientes profissionais junguianos em um evento que se destina a todos os profissionais de saúde e educação, mas também aberto à participação de todos aqueles que se interessam pelo tema, como pais e o público em geral. Venha participar deste debate que enfrenta um tema atual e que vem passando por profundas transformações.

calendario-1

29, 30 e 31 de janeiro de 2020

relogio-1

Das 9h às 12h e das 14h às 17h

pessoas-1

Público livre

localizacao-1

Sede da SBPA

cifrao-1

R$ 1.134,00*

coffee-1

Coffee break incluso

*Para inscrições até 24/01 – R$ 1.077,00.

A primeira infância e a Família Contemporânea na perspectiva da Clínica Junguiana

Quarta-feira, 29/01/2020 (Primeiro Dia)

Dinâmicas Familiares

Das 9h às 12h:

Ceres Araújo

A falta de uma escola de pais;

Mãe e pai: papéis a serem adquiridos;

Quais os pré-requisitos para tão importantes papeis?

Quais as condições de treinamento desses papéis?

A importância do atendimento de pais na análise de crianças.

Referências:

– Stern, D A constelação da maternidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
– Assumpção Jr, F.B. Como criar crianças saudáveis. São Paulo: Editora Atheneu, 2019.

Das 14h às 17h

Vanda Di Yorio Benedito

A situação familiar arquetípica;

Bases teóricas da terapia familiar sob o enfoque da psicologia analítica;

Temas que serão abordados na aula:

  • Dimensão arquetípica do ciclo de vida da família no período da primeira infância dos filhos;
  • A humanização do arquétipo materno e paterno;
  • A grande família arquetípica: avós,pais e filhos;
  • Complexo/sombra/persona na construção dos primeiros vínculos de uma família em formação;
  • O processo de individuação a partir dos conflitos: a busca entre mudança e estabilidade na dinâmica familiar;
  • O trabalho psicoterápico com o sistema familiar.

Referências:

– BENEDITO, V. D. Y.  Vínculos Familiares – Estudo de dinâmicas familiares com base nas relações conjugais. Junguiana, São Paulo, nº 11, p. 82-93, 1993.
– DODSON, L. GIBSON, T.  Psyche and Family- Junguian Applications to Family Therapy. Illinois: Chiron Publications, 1996.
– JUNG, C.G.  O desenvolvimento da personalidade. Petrópolis: Vozes, O. C. Vol.XVII, 1983.
– STEIN, M. O pai devorador in: Pais e Mães – Seis estudos sobre o funcionamento arquetípico da psicologia da família. São Paulo: Símbolo, 1981.
– STEIN, R.. Amor e incesto humano. São Paulo: Símbolos, 1978.
– VITALE, A.  O Arquétipo de Saturno ou a Transformação do Pai in Pais e Mães – Seis estudos sobre o funcionamento arquetípico da psicologia da família. São Paulo: Símbolo, 1981.
– Frances, W. The Inner World of Childhood. Sigo Press, Boston: 1955
– Christine, D. Espelho do Self – As imagens Arquetípicas que moldam a sua vida. Editora Cultrix Ltda. São Paulo, 1991
– Carter, B. & Mc Goldrick,M. – As mudanças no Ciclo de Vida  Familiar –  uma estrutura para a terapia familiar, Artmed, P. Alegre, 1995.

Quinta-feira, 30/01/2020 (Segundo Dia)

Trabalho corporal na clínica com crianças

Nesta aula teórica e prática, abordaremos o que é e como se dá inclusão da Calatonia e dos Toques Sutis de Petho Sandor, como recurso terapêutico.
Sua contribuição na construção da ressonância emocional com a criança, na regulação do tônus afetivo e corporal, na remodulação das funções reguladoras do afeto e na reparação dos padrões do vínculo familiar.

Das 9h às 12h e das 14h às 17h:

Ana Maria Russo

Angela Scuoppo

A Integração Fisiopsíquica na Psicoterapia Analítica com crianças – A Calatonia e os Toques Sutis.

Os estudos e pesquisas da Neurociência trazem importantes contribuições para a compreensão da Integração Fisiopsíquica e do valor e significado do corpo na Psicoterapia Analítica com crianças.

Nesta aula teórica e prática, abordaremos o que é e como se dá inclusão da Calatonia e dos Toques Sutis de Petho Sandor, como recurso terapêutico.

Sua contribuição na construção daressonância emocional com a criança, na regulação do tônus afetivo e corporal, na remodulação das funções reguladoras do afeto e na reparação dos padrões do vínculo familiar, tão importantes na trajetória do desenvolvimento na 1a infância.

Referências:

– Blanchard, A, Rios, AM, Seixas, L (2019). Calatonia A TherapeuticApproach that Promotes Somaticand Psychilogical Regulatio, Miami: Alma Street.
– Cozolino, L (2010). The neuroscience of psycoterapy. Healing the social brain. New York: Norton.
– Farah,R (2017). Calatonia: SutleTouch in Psychoterapy. São Paulo,SP: Companhia Ilimitada.
– Sandor, Pethö (1974). Técnicas de Relaxamento. São Paulo: Vetor.
– Schore, N. (2003). Affectdysregulation and disorders of theself. New York: Norton.
– Spaccaquerche, M.E. or g.(2012). O Corpo em Jung – Estudos em Calatonia e práticas integrativas, São Paulo: Vetor.
– Wilkinson, M. (2006). Changingminds in therapy. Emotion, attachement, trauma e neurobiology. New York: Norton.

Sexta-feira, 31/01/2020 (Terceiro Dia)

A importância do “brincar” e do lúdico na vida das crianças

Das 9h às 12h

Maria Aparecida Freitas de Vilhena

O Brincar e o Desenvolvimento da Imaginação: as bases da vida criativa e da capacidade de simbolização.

A importância do brincar no estabelecimento da:

  • Autorregulação afetiva-emocional;
  • Estruturação do ego;
  • Relação intersubjetiva com os pais, educadores, escola, avós;
  • Capacidade de estar só;
  • Função de simbolização.

Referências:

– Davidson, D. Playing and the Growth of Imagination, em Sidoli, M. e Davies, M. Jungian Child Psychotherapy. London: Karnac Books, 1988.
– Vilhena, M.A.F ‘Par ou Ímpar? A Importância do Brincar na Relação Pais e Filhos’. Cap 9 do livro de Bonini, L. e Maia, D. “Pais!!! Onde foi que acertei?”. Editora Sattva, 2019.
– Winnicott, D. O Brincar e a Realidade. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1971.

Das 14h às 17h:

Maria Dulce Freitas Marques

Interludicidade*: ludoterapia e intersubjetividade na clínica com crianças e no trabalho com os pais.

  • O brincar como sistema arquetípico/motivacional;
  • Transferência e contratransferência na brincadeira;
  • Apego, intersubjetividade e interludicidade;
  • Discussão de caso.

*Termo cunhado pelo psicanalista uruguaio Victor Guerra.

Referências:

– Stern, D (1992) “O mundo interpessoal do Bebê”
– Stern, D. (2007) “O Momento Presente”
– Guerra, V. (2009) “ Indicadores de Intersubjetividad” (Transcrição do curso ministrado por Vitor Guerra março 2009).
– Panksepp  J. (2016)  “Sistemas emocionales cerebrales y cualidades de la vida mental” em  Fosha,D.,  Siege D. , Solomon, M. l“El podercurativo de las emociones” Capitulo 1.
– Marks-Tarlow, T., Solomon, M, Segal D. ( 2018) “ Play and creativity in psychotherapy”.
– O’Connor ,J. Schaefer,C. , Braverman, L. ( 2016) “ Manual de terapia de juego”.

Inscrição em até 12x